22 janeiro 2015

CLAP CLAP CLAP

Em dias de corre a gente consegue ver bem a diferença de um bom atendimento e de um atendimento cagado. No dia a dia até rola aquele atendimento água com açúcar mas que nem interfere muito na nossa vida, só nos deixa com a mesma cara de paisagem. Acontece que ontem o corre foi louco e a falta de tempo me deixou aflita. Muitas coisas pra resolver num dia só e em lugares totalmente diferentes. Em dias assim a necessidade de sacudir um funcionário pelo atendimento escroto ou de abraça-lo por ser maravilhoso ficam bem mais evidentes. Só que a ideia aqui não é nem citar nomes porque muitas vezes a empresa não tem nada a ver com a falta de vontade de um funcionário. É só um desabafo acompanhado de reflexão pra vida, também.

SITUAÇÃO NO. 01

A CRESPA, precisava fazer um exame e como aderimos a um plano recentemente ainda não tínhamos o cartãozinho, apenas o número do cartão. Já rolou um bloqueio com a atendente quando ela descobriu que não tínhamos o cartão do convênio porque na cabeça dela, por falta de informação e/ou vontade, não seria possível fazer qualquer coisa sem o tal. Nisso, tentando facilitar o raciocínio dela, comentei que já tínhamos feito outros exames na mesma situação. A reação dela foi ainda pior que a primeira, fez aquela cara de preguiça tentando disfarçar de isso não dá. A partir daí, juntando a nossa insistência em resolver a situação, só foi piorando a cara e a vontade da figura. Quase morrendo, ela pediu ajuda de outra funcionária que falou que sim, que era possível, acessando sei lá que parte do sistema. CLAP CLAP CLAP. Mas senta aí que não acabou, a empresa do nosso plano acabou passando o número errado, de 17 dígitos tínhamos apenas 16, oooou seja, sistema não aceitou. [Desculpa gente mas falta de vontade alheia me deixa ainda mais determinada a resolver uma situação, ainda mais considerando a correria que foi esse dia]. A funcionária, por um segundo, respondeu aliviada que o sistema não aceitava. Assim, como quem diz: ó, a falha não é minha tá? o sistema que não aceita. Não amiga, eu sei que ainda dá pra resolver. Acho até que ela demorou demais pra notar que enquanto a gente não resolvesse algo tão simples não sairíamos dali. Foi aí que uma outra funcionária ouvia nossa conversa e falou que já tinha visto muuuuuitos clientes ligando para o 0800 do convênio pra conseguir o número da carteirinha e qualquer outra informação necessária. CLAP CLAP CLAP. Problema resolvido, exame feito. Só acho uma pena saber que provavelmente ela ainda vá atender muito gente com essa mesma vontade, ou falta de vontade né.

SITUAÇÃO NO. 02

Crespinha e eu faremos pré vestibular esse ano [breaking news] e com isso procuramos um lugar que nos permitisse qualidade de ensino e um preço acessível, obvious. Depois de encontrar o lugar, ligamos pra lá e nas 4 vezes nos passaram informações completamente diferentes. Já estávamos pensando na pior hipótese porque não faz o menor sentido um único curso ter 4 versões de exigências tão distintas. Foi ai que resolvemos ir logo fazer a tal matrícula que só assim saberíamos qual a certa. Quem nos atendeu foi um rapaz absurdamente simpático e disposto. Chega a ser até assustador a diferença da situação que passamos no primeiro caso. Só pra terem noção, eu consigo dizer de boca cheia que foi o melhor atendimento que eu já vi na vida. SIM! Além de tirar todas as nossas dúvidas, que eram inúmeras, ele nos deus diversas possibilidades de resolver todos os problemas que tínhamos sobre documentos, valores, formas de pagamento, datas, TUDO. Sério, o atendimento foi tão bom que eu ainda estou DESMAIADA de alegria depois de receber tantas notícias boas para o meu querido bolso. E quer saber, que os corres desse mês me permitam presentar esse rapaz [ô querido] com uma caixa de bombons que é o mínimo de mimo que ele merece pelo atendimento. [Sim, já tiramos um verde pra saber se ele gosta de chocolate.]

---

Nesse dia rolaram outros atendimentos terríveis, cheios de gente sem vontade, enrolações e afins. But, resolvemos boa parte do que queríamos o o atendimento exemplar do rapaz da segunda situação me fez lembrar sobre como ser gentil é legal. Pra quem não sabe, a Amanda Arruma começou um movimento na busca de um mundo mais gentil. CHEGAMAIS!

34 comentários

  1. É tão incrível quando a gente encontra alguém que é simpático e tem prazer em trabalhar, neah? Acho que o maior problema hoje em dia, é a maioria das pessoas não trabalhar com o que gosta (vezes por falta de opção, outras por falta de ir atrás, mas enfim).

    Tenho um causo de convenio tb, lembrei dele e preciso compartilhar.
    Uma vez apareceu uma conjuntivite maravilhosa no meu querido olho, fui no médico - porém, meu convenio tinha mudado o nome (porque se juntou com outro) e eu não tinha recebido a carteirinha com o novo nome - aí, chegando lá (com o olho todofu e cheia de dor) a atendente apenas olha pra minha cara e fala: NÃO ATENDEMOS ESSE CONVENIO AQUI. virou as costas, me deixou falando e saiu andando. Eu fiquei com cara de Oi? (sendo que tinha uma placa enorme falando que eles atendiam não só o meu convenio antigo, como o novo). Fiquei muito emputecida, liguei na central do convenio, causei um fuzuee louco e fui atendida (por outra atendente, dessa vez muito mais simpatica).

    As vezes fico indignada com a má vontade das pessoas, principalmente quando envolvem problemas de saúde. Tensu.

    E que legal a noticia do vestibular \o/ conta maisz.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ai, fico emputecida demais com falta de vontade alheia também :~ e outra, acho que é raro esse lance de falta de opção. obvious que há situações e zaz mas na maior parte é preguiça de procurar algo que goste e afins. ai a pessoa acha que tem direito de cagar enquanto atende? acho ofensivo demais. e sim, se tratando de saúde a parada fica ainda mais séria. dou brecha não!

      -

      sinhê, faremos vestiba e tou super animada, tou doida. mais uns dias aí eu conto mais souuuubre ♥

      Excluir
  2. Nossa, que diferença faz um atendimento atencioso e gentil, né? Muda até o nosso dia pra melhor. E o mesmo acontece, ao contrário, quando somos ignorados, destratados etc... Eu fico mal, desacreditada na humanidade.

    Esse menino merece uma caixa de chocolates e um abraço. No mínimo, né Ba?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. faz toda a diferença mesmo. e também me bate essa vibe de mal com a sociedade quando rola atendimento porco viu. mó zica. mas que bom que ainda tem gente gentil nesse mundo né :) e sim, ele merece!

      Excluir
  3. quando eu trabalhava de recepcionista tentava ser bastante gentil. Mas tem dias que não rola sabe, então talvez a funcionária estivesse apenas num bad day. espero que sim! risos

    mas eu super apoio a campanha! é maravilhosa e faz a gente refletir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. então jess, é por isso que falei do atendimento água com açúcar que é aquele dia mais ou menos sabe. também já trabalhei muito com o público e não há mau humor que justifique um atendimento ruim. ali não foi bad vibe sabe, foi má vontade mesmo. e outra, quando eu vejo que a atendente tá de mau humor eu tento brincar pra quebrar o clima, não é sempre mas eu tento.

      anyway, campanha maravilhosa caindo perfeitamente nos causos :) bom pra refletir né

      Excluir
  4. Queria ter sua paciência, eu sou a do tipo que começa a dar indiretas na atendente quando a irritação chega em níveis gigantescos. O atendimento bom é vida, da vontade até de virar amigo do atendente hehehe e adorei a ideia de dar chocolate .

    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. então rayssa, o lance é ter jogo de cintura. uma coisa que aprendi, nos dois lados na moeda, é aprender a lidar com as pessoas sem bater de frente e afins. mesmo quando nós que estamos certas, dependendo de como lidamos, conseguimos o resultado que queremos. entende? é complicado pôr isso na prática mas depois que consegue é só sucesso :)

      Excluir
  5. Lidar com funcionários sem vontade é foda mesmo! Tem dias que dá vontade de sair socando as pessoas. Ainda bem que existem alguns poucos que salvam a pátria!

    http://wanilagoularte.wordpress.com

    ResponderExcluir
  6. quando encontro uma atendente como a primeira situação dá vontade de falar "quer uma calcinha pra você tapar essa sua cara de bunda?"; só não falo porque né, sou gentil. Parabéns ao moço do cursinho, parabenize-o pro diretor da escola porque gente assim merece muito reconhecimento no trabalho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. merece mesmo. atendimento dele foi muito além dos padrões :)

      Excluir
  7. ai Ba, eu sei como é foda isso!
    eu trabalho com assessoria de imprensa, então é o dia todo ligando pra jornalista do Brasil inteiro. são pessoas que não têm que te atender por obrigação e, por isso, te tratam mal. e é uma coisa que eu não entendo! sei lá, sou muito adepta da empatia e não consigo dar patadas gratuitas porque eu fico realmente mal quando as recebo.

    acabou que desabafei! hahaah

    e dê chocolates ao moço fofo sim! talvez isso desencadeie uma corrente do bem <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. exatamente mi, empatia ♥ por mais que role uma raiva não consigo sair dando patadas não e fico super na bad quando sou distratada. é por isso que tento conduzir a conversa, quebrar o clima pesado e tudo de forma que as coisas sejam resolvidas sem stress.

      DESABAFAMOS ♥ HAHAHAHA

      e sim, simbora desencadear essa corrente chocolate do bem HAHA :*

      Excluir
  8. Aqui no Rio de Janeiro o atendeimento de qualquer coisa é terrível... na padaria aqui da esquina de casa (não vou em outra pq a preguiça n deixa) só falta a mulher jogar o troco na sua cara. E tem mais, aparece lá pra comprar cigarro com 50 reais, a véia quase te bate. Mas sem bobeiras, o atendimento por aqui é doa piores que existem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mas jura? se eu for ai e ela achar ruim de eu comprar um trident [não fumo mais] com nota de 50 ai depois eu apareço lá comprando bala com nota de 100 :) HAAHAHAHAHAHAH dou brecha pra essas safadeza não

      Excluir
  9. Odeio quem não atende bem.
    Amigo, se você não está satisfeito com seu emprego peça demissão e arrume outro.
    aff
    bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. penso muito nisso também viu. tá ruim troca que fica susse :)

      Excluir
  10. QUAL É A SUA BRUXARIA QUE ME FAZ LER ESSE TIPO DE POST E AMAR UEHUE

    Cara, aqui no rio eu já fui DEVOLVER dinheiro porque deram o troco errado (dinheiro a mais)e a mulher foi MUITO estúpida. Imagina se eu tivesse pedindo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHAHAHA não posso contar meu segredo ♥

      e sim, já rolou isso comigo também. devolver grana e ganhar uma cara de cussss OAIHSOASIOAHOI fazeuque

      Excluir
  11. É impressionante a diferença que um bom atendimento faz, né?
    Eu sempre dou uma gorjeta se a pessoa me atende de boa vontade com um sorriso no rosto!

    bjs de Filipinas,
    Gabi Barbará
    Barbaridades!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. né? tão bom quando somos atendidos com vontade :)

      Excluir
  12. Atendimento faz TODA a diferença, né? Sou dessas que acaba comprando algo que eu nem queria/precisava simplesmente porque alguém fez um atendimento impecável - aconteceu semana passada, inclusive, com um café! hahah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e não é? já comprei comida em pub também por causa do atendimento HAHAHAHHA

      Excluir
  13. Nossa, isso faz uma diferença sem tamanho. Eu não consigo recordar de nenhum atendimento horroroso ou extremamente diferenciado mas já passei por ambas as situações. O que teu relato me fez lembrar foi algo que se não fosse engraçado seria trágico, ou não trágico, mas causaria atrasos no emprego/faculdade. Em Porto Alegre, quando estudantes, usamos o TRI. Um cartão de transporte coletivo, e acho que tem em diversos outros lugares tbm. Com ele fazemos a recarga e pagamos metade da passagem (que é os olhos cara). Ai, que eu e minha amiga esperando pelo ônibus (que é pra passar de 15 em 15 min mas passava de MEIA EM MEIA HORA) começamos a perceber que o mesmo vem se aproximando da parada. Eu falo: Jade, já pega o teu TRI. E ela: Ai, não to achando, ai meu deus. E eu, que não poderia me atrasar, falei bem egoista: Ah, não. Se tu não tiver com ele ai, vou sozinha. Foi então que a gentileza, materializada no cortpo de uma mulher desconhecida disse: Pode usar o meu. Eu empresto. (O que ela tinha é o que chamamos carinhosamente de TRI infinito, que é o vale transporte de trabalhador, e ele pode ser usado por mais de uma pessoa, diferente do TRI normal que só pode ser usado pelo aluno.) Ai, entramos no ônibus, agradecendo ela. Ela passou, emprestou o cartão pra Jade, e essa passou tbm. Qd chegou a minha vez e fui pegar o TRI que sempre está na carteira, adivinha. Não estava lá. E eu comecei a ficar constrangida, desesperada e pressionada pelos passageiros que estavam atrás de mim e queriam entrar no ônibus tbm. Foi então que a Gentileza se reaproximou da roleta e passou o TRI infinito dela, DE NOVO. E então, eu e Jade conseguimos ir até nosso campus. Sério, foi uma das maiores demonstrações de gentileza que já presenciei. Fez toda a diferença no nosso cotidiano, além de nos inspirar ainda mais a reproduzir isso com outras pessoas. :}

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e as vezes rola isso né, até porque é bem mais fácil ser egoísta do que qualquer outra coisa e do nada nos vemos ali precisando da gentileza alheia também HAHA mas faz parte, acho que todo mundo acaba passando por isso em algum momento. e fica de lembrança, como tu disse pra gente se inspirar e reproduzir mais gentileza por ai :)

      Excluir
  14. Gente que trabalha feliz > melhor coisa socorro. Ontem eu tive um atendimento tão cu numa loja que vende coisas pra fazer acessório que fiquei meio mal humorada o dia todo. Mas quando é o contrário (cliente estúpido e atendente normal) deve ser MUITO pior, puts.

    /bossaebrisa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ah sim, acho beeeem pior também. já até presenciei isso. ali de bouas trabalhando e ver cliente ofender funcionário. é foda!

      Excluir
  15. MANO acho que a diferença entre um bom atendimento e um atendimento nas coxa é justamente o cliente, sabe? não o da hora, mas o de antes. xo explicar.
    tu e a crespa vão lá e dão uma caixa de bombom pro moço do cursinho, aí ele fica TODO PIMPAO e vai trabalhar com muito mais alegria de viver, saca? faz toda a diferença. quem sabe a moça da sit.01 só levou patada dessa vida? :( foda.

    boa sorte nos cursinho e precisando de ajuda com paranauê da faculdade de design fala com as miga que noix ajuda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. então gatã, eu até pensei nisso sabe. só que eu acho que quando se trata de má vontade já é outra coisa. porque uma coisa é tu ser seca e tals (o que se encaixa a ter passado por um cliente zica anteriormente) e outra é tu só não ter a menor vontade de fazer naaaaada pra resolver. e olha que de má vontade já vi gente assim por meses trabalhando. foda :~

      ainnn thnkxxx ♥ qualquer coisa eu gritoooou HAHAHAHA

      Excluir
  16. Pra não dizer que nada, digo que são poucas as coisas que me irritam mais que um mal atendimento. Trabalhei anos numa loja onde o atendimento era o nosso maior diferencial, e não importava qual absurdo estávamos ouvindo do cliente, JAMAIS responderíamos de forma grosseira. Ser gentil é legal, e não custa nada, gente! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nossa, não custa nada mesmo. e faz tão bem pra todo mundo né?

      Excluir
  17. Oi! É Bárbara teu nome?
    Eu também, já passei por situações nada agradáveis de mau atendimento, seja em estabelecimentos comerciais, órgãos públicos ou entidades diversas.
    Há pouco mais de dez anos, em uma papelaria, eu queria comprar uns envelopes (imagina, em pleno século 21, eu ainda escrevendo cartas em papel para me corresponder com pessoas!) e só tinha uma nota de 10 reais. E a atendente - aparentando ter mais de 50 anos - não tinha troco, e me olhou com uma cara, como se dissesse "Te vira!". Ela nem ao menos me ofereceu alguma alternativa para levar os produtos, nem que me fizesse um "vale" e eu pagasse posteriormente. Não gostei da atitude dela, larguei os envelopes lá e saí bravo da loja, prometendo não voltar mais. Além disso, na época eram poucos os estabelecimentos que trabalhavam com cartão de débito.
    Guilherme - funcionário público - Porto Alegre/RS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tipo de coisa que se encontra em qualquer meio né? seja lá qual for o órgão ou serviço. e acaba acontecendo bem isso, a gente não volta e muitas vezes a empresa "não tem nada a ver". anyway, as vezes o lance é ter muito jogo de cintura, respirar fundo, conversar com alguém responsável, conversar com o próprio atendente... tantas possibilidades né

      Excluir

© BMRTT
Maira Gall