menu
25.5.19

Maio tá sendo um mês muito doido. Mês de provas e trabalhos e eu querendo jogar tudo pro alto mas sabendo que ainda teria que catar tudo de volta. Semestre com projeto de pesquisa é um mixed feeling de muito ódio e tremedeira com adicional de rindo de nervoso pra não chorar. Isso que se for pensar bem, é só um simulado do que me aguarda nos próximos dois últimos semestres. 


Teve também mudança de departamento e de horário de trabalho. O que sempre me deixa super ansiosa, mesmo já conhecendo a equipe etc etc etc. Já se passaram duas semanas da mudança e tô bem contente porém sigo levemente tensa pois tudo novo. Se juntar tudo isso e a tpm bizarramente intensa que tive esse mês já dá pra imaginar que a essa altura do campeonato eu tô só o pó. Viva, mas não muito. Porém feliz então vamo que vamo.


Graças, esse final de semana não será tão exaustivo resolvendo pendências da faculdade e poderei me dar um luxo de fazer vários nada pra recuperar as energias e estar no mínimo pronta pra sobreviver as próximas semanas. Quem sabe tirar o atraso da leitura de alguns blogs, assistir alguma série, jogar uns caça-palavras ou até passar o finds jogando The Sims 4. Quem sabe. Só não posso esquecer que ainda tenho um áudio pra transcrever porque as pendências da facul dão uma aliviada mas não acabam. 

Vamo que vamo.
3.5.19


Começo do mês passado demos um pulinho no sítio dos meus sogros. Algo que fazemos todo ano. Na clássica caminhada pelo terreno ficamos conversando sobre onde seria legal construir um chalé, sobre a horta que teríamos, sobre a estradinha que teríamos que construir, etc etc etc. Antes eu ainda brincava falando que, tendo wifi, o chalé poderia ser em qualquer canto. Já nessa última visita eu me peguei rindo porque, sinceramente, wifi pra quê? Uma varandinha no meio do nada, da serração, com um cafézinho e um bom livro já tá de bom tamanho. 

Isso me fez pensar um pouco em como a internet deixou de ser algo tão importante no meu dia-a-dia, no que diz respeito aos meus momentos de lazer. Claro, ainda está presente em boa parte das coisas que faço mas não é mais uma necessidade como antes era pra mim. Até me afastei de muita coisa, diminui o consumo de algumas redes, algumas até deletei do meu celular porque simplesmente não me faziam mais bem. E tudo bem, acho que faz parte.


Seguimos com o ritual, uma foto de cada um com o mesmo cenário. Já postei dos outros anos aqui (primeirosegundo e terceiro) e estou desolada que não fizemos isso ano passado. Mas como esse já é o quinto ano vou seguir com o ritual como se nada tivesse acontecido.


Enquanto eu não me escondo num chalé no meio do nada, sigo feliz que estou conseguindo manter o meu hábito de leitura. Retomando alguns livros que antes precisei abandonar e começando outros, por causa do meu trabalho, que nem cogitava ler. Manter essa rotina me deixa bem porque, além de de ser algo que amo fazer, me dá a sensação de que não tô vivendo nessa correria só pra pagar boleto. [risos nervosos]

Quando o esgotamento mental pede umas pausas eu paro pra assistir algo aleatório no netflix ou jogo um caça-palavras. Geralmente opto pela segunda opção. Aliás, uma das minhas melhores aquisições foi um livro com 365 caça-palavras e eu amo a ideia de que parece que ele nunca vai acabar.

No mais, a casa segue uma bagunça. Confortável, mas uma bagunça. Depois da última black friday demos uma pausa nas compras (porque né) mas pelo menos o mural de fotos segue firme e forte sendo atualizado todo mês. Phosfato, love you! :)

Não é publi (quem me dera) mas a quem interessar, tenho um cupom de desconto BARBARAL3426 de R$ 10,00 no primeiro mês de assinatura do Phosfato.
14.4.19

Sempre reflexiva durante comemorações, ou no caso, também após. Além de que as fotos ficaram tão bonitinhas que eu não quero deixar passar em branco esse momento por aqui. Fim de março comemorei os meus 2.9 outonos. yaaaay!


Esse ano resolvi comemorar numa pizzaria que conheci não faz muito tempo. Estavam comigo maninha, que alguns de vocês já conhecem como @a.crespa, mamis, Betão e meu excelentíssimo, que registrou essas primeiras fotos.


Mês de março pra mim costuma ser pesado e carregado de angústia. Ao mesmo tempo que eu fico na expectativa de que seja um mês bom, afinal, é o mês do meu aniversário. Inferno astral normalmente vem com tudo, talvez por conta de acontecimentos passados e da própria sensação de que algo sempre vai dar errado. Dessa vez foi diferente.

Não sei se eu simplesmente desencanei e foquei minha atenção e energia em outras coisas. Não sei se porque dessa vez eu meio que aceitei que shit happens e que a gente meio que tem que lidar com isso mesmo. Sinceramente, não sei. Só sei que dessa vez foi diferente.


Março demorou pra passar e automaticamente parecia que meu aniversário não chegaria nunca — faço dia 26. No meio disso coisas muito legais aconteceram, tentei focar minha energia nas coisas que tem me feito bem, nas coisas que eu alcancei, nas possibilidades futuras e não tão futuras. Além da paz que trás ter pessoas tão especiais por perto. Que sorte a minha.


Essa leveza eu não sei se me acompanhará nos próximos aniversários — se eu piscar chego nos 30, mas a sensação que eu tenho é que tem muita coisa boa pra acontecer ainda e que eu posso me dar o luxo de curtir de corpo e alma cada etapa dessa vidinha louca. 

Iniciando um novo ciclo com o coração leve e quentinho. Parabéns pra mim! ♥