menu
19.3.19


Uma semana para o meu aniversário e so many feelings. Enquanto não organizo as ideias, aproveito pra trazer uns poucos registros aleatórios para falar de coisas aleatórias, mas não menos importantes.

O registro de fevereiro, vide colinha carimbada na própria foto, me trás o sentimento de aconchego e rotina. Arrisco dizer que a hora do café é uma das minhas horas favoritas nesse cafofo. Sem falar no tanto que eu amo a luz que entra nessa casa.


Março, também conhecido por aqui como mês do meu aniversário feat inferno astral, costuma ser um mês meio estressante, cheio das crises existenciais. Acabo sempre entrando no looping sobre comemorar ou não e sempre me arrependendo de alguma coisa independente da decisão. Sim, é um mês esquisito pra mim. Buuuut, esse março específico está sendo estranhamente maravilhoso e eu até tenho medo de falar muito e estragar.  

Acontece que, 10 anos depois (oi acho que temos um padrão aqui), Angélica e eu resolvemos nos reencontrar e cá estamos nós dando continuidade a essa amizade linda. Foi algo extremamente aleatório nesses últimos dias, que decidimos fazer de um dia para o outro e eu ainda tô meio desnorteada de tão feliz com esse acontecimento e com tudo que ele desencadeou. A vida é muito top!


Aproveito também pra deixar aqui mais um vídeo fragmentos que eu demorei anos luz pra editar mas que eu amei demais, as usual.


9.3.19

Frames de um vídeo que fiz já tem um tempo mas que sempre me deixam com o coração quentinho...


... e com saudades do inverno. 


Além de que é muito louco olhar esses registros que fiz da Maria Clara. Registros que nem são tão antigos mas que já parecem ter anos luz pelo tanto que ela já cresceu. 


Lá na Gamboa é sempre gostoso sentar na varandinha e passar horas conversando. Curtindo aquele solzinho nos dias frios. Na praia a gente dá aquele pulo pra matar a saudade do mar. Aliás, praia no inverno tem todo um outro feeling. Normalmente não tem ninguém, a temperatura tá agradável e você pode ficar ali só ouvindo o barulhinho das ondas. 


No frio o café fica mais gostoso, o solzinho é sempre bem recebido, as roupas ficam mais confortáveis.


Nessas horas eu fico feliz demais por ter essa mania de querer registrar tudo. 


E flores, os registros ficam tão bonitos com flores.


É isso, recordar. Minhas doses de quentinho no coração. 


24.2.19

No meio da correria de final de ano, papis e eu tiramos um final de semana pra viajar de moto. Saímos daqui de São José - SC no segundo sábado de dezembro, bem cedinho, rumo a Urubici - SC.  Nossa primeira viagem de moto juntos, pra curtir o I Urubici Moto Fest. 


Nos hospedamos na Pousada das Flores. Lugar super charmoso, atendimento maravilhoso. Queria ter lembrando de fotografar o lugar e tantas outras coisas. Mas acho que estava tão estasiada que nem lembrei. Aliás, o café da manhã deles é maravilhoso. Sério, demais!


Pelo menos a tão desejada foto na parede-mapa a gente não esqueceu né?


Saímos da minha casa antes das 7am e, curtindo uma viagem de aproximadamente 160km serra acima, chegamos na Pousada ainda pela manhã. Deu tempo pra fazer o check in tranquilamente pra então irmos para o evento. Lá aproveitamos aquele almoço sem erro, o bom e velho choripan, ao som da banda On The Road.


Diferente de São José, em Urubici num geral fez bastante frio. Isso facilitou bastante o uso das roupas de proteção para pilotagem mas, vide foto da marquinha de queimado, pode ser também um problema. Tipo se você ficar na rua por umas 2hrs, curtindo aquele solzinho gostoso do meio dia, enquanto seu pai tira um cochilo pós almoço no gramado do evento. Só vi o estrago fim do dia quando voltamos pra pousada.

Depois do almoço o pessoal do evento foi todo junto dar um rolê de moto em alguns pontos turísticos da região. A ideia era de irmos também mas, veja bem, eu realmente estava concentrada curtindo o solzinho no gramado enquanto o pai cochilava sob um árvore. Como perdemos essa parte do rolê, resolvemos dar um pulo em um padaria pra tomar um cafézinho antes de voltarmos para a pousada.

Meu pai é o tipo de pessoa que se comunica muito bem. Ele faz amizade com uma facilidade assustadora, com qualquer pessoa. Certa vez fui almoçar com ele no Burger King, o lugar estava socado de gente, e quando cheguei com nosso lanche ele já tinha convidado duas adolescentes pra dividir a mesa com a gente. Os três estavam super empolgados conversando sobre física quântica. Ele gosta muito desse tema. Anyway, voltando para nossa pausa para o café, quando me dei conta estávamos conversando com o pessoal da banda que tocou mais cedo lá no evento. Eu já falei que meu pai faz amizade com todo mundo? 

Depois de mais um café maravilhoso, aparentemente em Urubici só tem café bom, voltamos pra Pousada pra tirar um cochilo porque o evento só reabriria novamente depois das 19pm. Viajar é gostoso mas cansa e um cochilo cairia super bem. Aliás, acho que sempre cai né? Pois bem, quando estamos saindo da moto em direção ao nosso quarto alguém aparece na janela de um outro quarto, um dos caras da banda.

A vida é meio que essa sequência de coisas totalmente aleatórias mas que estão interligadas de formas tão bizarras né? É uma coisa muito louca mesmo. 

Pós cochilo voltamos para o evento, pai matou a vontade de comer fritas e mini pizza. As vezes acho que a criança interior dele aparece cada vez mais, sempre querendo comer alguma besteira com aquela cara de quem tá aprontando e feliz porque né, é bom comer besteira.

Voltamos para a pousada e capotamos porque, além do cansaço, a ideia era voltar pra casa por um outro caminho mais extenso ainda pela manhã.


Se não me engano era umas 8am quando fomos tomar café na Pousada, ainda meio sonolentos e chocados porque faziam uns 7 fucking graus. Adivinham o que aconteceu no café? O pai fez mais amizades. Esses dois queridos ai da foto, cariocas conhecendo a serra catarinense. Infelizmente não lembro do nome deles mas pelo menos não deixaram passar o momento sem registro. A vida, ela é muito louca.

Dali partimos para o caminho de volta pra casa, pela Serra do Rio do Rastro, num domingo maravilhosamente ensolarado. Pensa num dia lindo! 


Fizemos uma parada no Mirante da Serra do Rio do Rastro. Era minha primeira vez ali mas o pai falou que, pelo menos no final de semana, sempre lota de motociclistas. A vista é absurdamente linda e se você der sorte ainda é recebido pelos quatis que vivem na região. 


Depois que cheguei em casa fiquei pensando na quantidade de fotos e vídeos que eu poderia ter feito. Eu gosto muito de registrar os momentos e ficar revendo de tempo em tempo. Pra mim vai muito além de registrar só pra ter o que compartilhar. Ainda assim, nessa viagem e seus 568km percorridos, eu simplesmente esqueci. Foi um mixed feeling tão gostoso, tão intenso, que eu simplesmente esqueci. E tudo bem. 

A experiência foi gostosa demais e com certeza vou querer fazer essa rota mais vezes. Quem sabe na próxima eu possa voltar com mais registros desse rolê maravilhoso :)

Que fique o lembrete pra mim, e pra quem quiser. De vez em quando é bom se jogar numas aventuras, sair da rotina, curtir umas experiências que você nem teve muito tempo pra planejar. E ah, façam coisas com seus pais. A vida é corrida pra caralho mas depois que eles se vão, não adianta arranjar espaço na agenda não. Então aproveitem! 

É isso. Fecho esse post com essa vista maravilhosa do Mirante.