menu
14.4.19

Sempre reflexiva durante comemorações, ou no caso, também após. Além de que as fotos ficaram tão bonitinhas que eu não quero deixar passar em branco esse momento por aqui. Fim de março comemorei os meus 2.9 outonos. yaaaay!


Esse ano resolvi comemorar numa pizzaria que conheci não faz muito tempo. Estavam comigo maninha, que alguns de vocês já conhecem como @a.crespa, mamis, Betão e meu excelentíssimo, que registrou essas primeiras fotos.


Mês de março pra mim costuma ser pesado e carregado de angústia. Ao mesmo tempo que eu fico na expectativa de que seja um mês bom, afinal, é o mês do meu aniversário. Inferno astral normalmente vem com tudo, talvez por conta de acontecimentos passados e da própria sensação de que algo sempre vai dar errado. Dessa vez foi diferente.

Não sei se eu simplesmente desencanei e foquei minha atenção e energia em outras coisas. Não sei se porque dessa vez eu meio que aceitei que shit happens e que a gente meio que tem que lidar com isso mesmo. Sinceramente, não sei. Só sei que dessa vez foi diferente.


Março demorou pra passar e automaticamente parecia que meu aniversário não chegaria nunca — faço dia 26. No meio disso coisas muito legais aconteceram, tentei focar minha energia nas coisas que tem me feito bem, nas coisas que eu alcancei, nas possibilidades futuras e não tão futuras. Além da paz que trás ter pessoas tão especiais por perto. Que sorte a minha.


Essa leveza eu não sei se me acompanhará nos próximos aniversários — se eu piscar chego nos 30, mas a sensação que eu tenho é que tem muita coisa boa pra acontecer ainda e que eu posso me dar o luxo de curtir de corpo e alma cada etapa dessa vidinha louca. 

Iniciando um novo ciclo com o coração leve e quentinho. Parabéns pra mim! ♥
19.3.19


Uma semana para o meu aniversário e so many feelings. Enquanto não organizo as ideias, aproveito pra trazer uns poucos registros aleatórios para falar de coisas aleatórias, mas não menos importantes.

O registro de fevereiro, vide colinha carimbada na própria foto, me trás o sentimento de aconchego e rotina. Arrisco dizer que a hora do café é uma das minhas horas favoritas nesse cafofo. Sem falar no tanto que eu amo a luz que entra nessa casa.


Março, também conhecido por aqui como mês do meu aniversário feat inferno astral, costuma ser um mês meio estressante, cheio das crises existenciais. Acabo sempre entrando no looping sobre comemorar ou não e sempre me arrependendo de alguma coisa independente da decisão. Sim, é um mês esquisito pra mim. Buuuut, esse março específico está sendo estranhamente maravilhoso e eu até tenho medo de falar muito e estragar.  

Acontece que, 10 anos depois (oi acho que temos um padrão aqui), Angélica e eu resolvemos nos reencontrar e cá estamos nós dando continuidade a essa amizade linda. Foi algo extremamente aleatório nesses últimos dias, que decidimos fazer de um dia para o outro e eu ainda tô meio desnorteada de tão feliz com esse acontecimento e com tudo que ele desencadeou. A vida é muito top!


Aproveito também pra deixar aqui mais um vídeo fragmentos que eu demorei anos luz pra editar mas que eu amei demais, as usual.


9.3.19

Frames de um vídeo que fiz já tem um tempo mas que sempre me deixam com o coração quentinho...


... e com saudades do inverno. 


Além de que é muito louco olhar esses registros que fiz da Maria Clara. Registros que nem são tão antigos mas que já parecem ter anos luz pelo tanto que ela já cresceu. 


Lá na Gamboa é sempre gostoso sentar na varandinha e passar horas conversando. Curtindo aquele solzinho nos dias frios. Na praia a gente dá aquele pulo pra matar a saudade do mar. Aliás, praia no inverno tem todo um outro feeling. Normalmente não tem ninguém, a temperatura tá agradável e você pode ficar ali só ouvindo o barulhinho das ondas. 


No frio o café fica mais gostoso, o solzinho é sempre bem recebido, as roupas ficam mais confortáveis.


Nessas horas eu fico feliz demais por ter essa mania de querer registrar tudo. 


E flores, os registros ficam tão bonitos com flores.


É isso, recordar. Minhas doses de quentinho no coração.