menu
3.3.21

Me tornei a pessoa que eu mais temia, a que está sempre postando no blog mas não consegue comentar no blog dos outros. Inoreader quase transbordando de posts não lidos e o máximo que tenho conseguido fazer é dar uma passadinha ali pra sair salvando todos os posts pra ler depois. 

Blogar é algo que gosto de fazer com calma, principalmente quando é para ler o que outra pessoa compartilhou. Sinto que é uma questão de consideração com o tempo que o outro tirou para deixar uma parte sua naquele espaço, da mesma forma que eu tiro pra deixar uma parte minha no meu. Só que isso é uma relação completamente minha. Por favor, não pensem que julgo quem acompanha de longe. 

A vida da gente tem seu próprio ritmo né? As vezes queremos acompanhar de longe mesmo e tudo bem. Aqui é por conta da minha nova relação com o tempo, ele é muito mais da Sarinha do que meu. Seguimos nos adaptando a cada fase e isso provavelmente sempre parecerá repetitivo mesmo por aqui. Tem período que eu consigo interagir mais, tem outros que eu consigo compartilhar mais e também tem outros que a gente se recolhe e assim segue a vida.

Acabo sentindo um mix de saudade e de vez em quando culpa também. A Barbara do passado era tão presente nesse universo que tanto gosta dos blogs, sabe? Só que esse é o ponto, eu que me engano ao me questionar com olhos do passado quando são novos olhos e uma nova realidade que preenchem os meus dias.

No fim, é trocar essa culpa pela satisfação de ainda assim conseguir aparecer por aqui de vez em quando. No tempo que for pra ser, a nova Barbara talvez consiga retomar essa rotina do jeitinho que tanto gosta. Eu que aproveite essa nova fase do jeitinho que ela é. Aproveitar as trocas a gente também pode fazer em outros momentos, assim como histórias não precisam ser fresquinhas para serem compartilhadas.

Tudo no seu tempo.

27.2.21

O dia aqui começa cedo. Despertador existe mesmo mais por via da dúvida, aquele feeling de vai que hoje ela dorme mais seguido do receio de perder o horário. As vezes acontece, do soninho dela pedir mais tempo. Na maior parte das vezes, quando o telefone avisa o início do expediente, Sarinha já está há tempos pulando no tatame tentando brincar com todos os brinquedos simultaneamente.


Bom dia nessa manhã de sábado com registro da semana 6 de 52 (sim, atrasadíssima no projeto). Diferente do registro da vez, hoje a pequena acordou primeiro e euzinha aqui fui acordada com chutinhos e muita falação. Enquanto termino esse post Sarinha já curte a sua primeira soneca do dia e eu o meu segundo café no aguardo da minha alma voltar logo para o meu corpo. Bom dia.

23.2.21


Ri demais quando resolvi jogar The Sims 4 dia no final de dezembro e vi que da última vez que abri o jogo, ainda com Sara no forninho, já tinha providenciado a segunda filha. Obviamente inventei isso porque ainda curtia plena a gestação e não tinha passado pelo puerpério. Ah, a inocência. Pra reabrir a fábrica dessa família aqui na vida real só depois que a fada da amnésia materna bater forte. 

Não sendo suficiente fazer minha família no jogo pra basicamente reproduzir a nossa vida, eu ainda invento de comprar coleção de objetos dia de lavar as roupas porque eu sou ridícula e não posso ver um dia de sol que já quero colocar umas roupas na máquina. 

Ridícula mas também abusada porque quando a K. comentou que estava rolando promoção nas expansões eu fui correndo comprar ilhas tropicais porque assim eu faço de conta que estamos aproveitando esse verão na praia. 

***

Rindo de nervoso ao revisar esse post, quase dois meses depois de ter escrito, depois de lembrar que dia desses ainda sonhei que minha irmã tinha "esquecido de salvar o jogo" da vida real e por causa disso eu tinha voltando para o fim da gestação de Sara. Tipo voltado no tempo mesmo. No sonho eu ainda falava: — pelamordedeus mariana eu não posso passar pelo puerpério todo denovo agoraaaaaaaa! Acordei assustada e tive certeza que ainda vai demorar pra fada da amnésia materna bater.