03 julho 2015

26/52


Essa foto é um registro da última semaninha de junho e até já apareceu aqui. Ela me deixa tão good vibes que resolvi usar também como capa do vídeo que fiz com fragmentos de junho. Super representou o mês. E desculpem a má qualidade do vídeo que sou nova nisso e não manjo quase nada das edições. Mas ó, feito com amor.


Valendo lembrar que a ideia de criar esse vídeo só veio graças ao vídeo Fragmentos que a Gigi do Avec Gigi fez. Gostei tanto da ideia que resolvi fazer também. O que acharam? Tô pensando em seguir com a ideia nos próximos meses.

Ainda sobre junho, assisti três filmes bem água com açúcar em momentos totalmente aleatórios de procrastinação ou insônia pós pesadelo. What If e Horns eu queria assistir há algum tempo e acabei criando milhões de expectativas. No fim só achei legalzinho mesmo. Já Earth to Echo eu nem sabia da existência então foi bem mais tranquilo assistir sem julgamentos. Acabei achando gostosinho de assistir, naquele estilo sessão da tarde (mesmo considerando que assisti as 4h da manhã).

Quanto aos seriados fui muito mais feliz. Conheci Izombie pela Revista Ovelha e amei a série. Gostei tanto que tô louca pra ler a HQ. Também comecei a assistir Unbreakable Kimmy Schmidt e só assisti alguns episódios. Não chegou a ser um caso de amor mas ainda não desisti. Orange Is The New Black, que eu não tinha estabelecido uma relação até então, resolvi devorar as duas últimas temporadas quase que tudo de uma vez e caramba, que coisa maravilhosa. Por fim, Penny Dreadful, que virou caso de amor fácil e sempre me deixa ansiosa esperando pelos próximos episódios.

01 julho 2015

NO SEXTO MÊS

Junho foi um mês tão leve que a sensação que eu tenho é de que demorou pra passar. Não que isso seja ruim, não nesse caso pelo menos. Os dias foram longos mas foram gostosos de aproveitar.


Teve Red Lips Day e eu quase esqueci de participar. Lembrei no último dia mesmo. Aliás, foi um mês tão preguiçoso que eu tive de usar várias vezes o meu all star porque eu precisava levar meu coturno no sapateiro e sempre adiava. Eu gosto do meu parzinho de all star mas meu caso de amor mesmo é com o coturno. Com o all star eu me sinto fofa e não sei lidar.

Na última semana little new e eu (principalmente) tomamos vergonha na cara e voltamos com a rotina das caminhadas. Por sorte o tempo ficou limpo praticamente a semana inteira e o visual compensava toda a preguiça, todas as bolhas nos pés e todas as dores musculares. Então pensa num visual bonito.


Rolou as melhores selfies numa visita à Gamboa. Até comentei sobre o meu caso de amor por um dos trechos de lá. Também rolou caso de amor por um look com direito a reflexões sobre auto estima. Importantíssimo. São muitos momentos de alegria extrema pra um mês. Teve até cineminha com o little new pra assistir Jurassic World e eu achei que fosse morrer de tanta alegria. Sou dessas. Meu jeitinho. 


Ah, ganhei do little new (aimodeusi brigada) aquele kit de 3 lentes para o celular e tô louca pra testar na rua. Fiz só um teste rápido em casa mas ainda não parei pra ver realmente como usufruir dessa belezura. Talvez eu me empolgue e até fale melhor das lentes em um outro post. Fica o mistério.

Pra quem quiser acompanhar essa minha vida de procrastinadora feat. pré vestibulanda desesperada (segundo semestre de cursinho chegando) por outras redes, fica avontz. Meu instagram é o @bamoretti e no snapchat o user é morettiba. Chegamais.

27 junho 2015

ON PINTEREST NO. 04

meu pinterest @bamoretti

1 // Aprendendo a celebrar as pequenas vitórias diárias. A vida fica muito mais leve quando paramos de nos comparar com vidas alheias e aprendemos a enxergar nosso próprio esforço e nossas conquistas. 

2 // Enfim, agora tenho um quarto e, como quase toda recém mudança, ele precisa de reforminhas (é o meu primeiro quarto da vida com resquícios da minha adolescência rebelde). Quero abusar muito da tinta branca e depois trocar o jogo de cama por cores clarinhas. 

3 // Todo um caso de amor por essa fotografia. Não sei lidar com todo o amor que rola ao se ter um animal (amigo, bff, amorzinho) de estimação (ou vários, como no meu caso). Mas confesso que meu ponto fraco, meu caso de amor, nessa fotografia são os olhos dos dois. Coisa absurdamente linda. Tô no chão.

4 // Por fim, essa flor. Ela representa duas mudanças na minha forma de ver, curtir, a vida. Nunca achei que fosse me interessar por flores (ou plantinhas num geral) e muito menos gostar de rosa. Acho até que já comentei isso aqui mas enfim... dando espaço pra curtir coisas que nunca me interessei antes.