menu
6.7.18

É sempre muito engraçado (e louco) pensar em como tudo aconteceu. Lembrar de colegas falando que já sabiam de tudo, que já estava escrito. Destino? Pode ser, não dá pra dizer que não faz pelo menos um pouco de sentido. Encontros e reencontros, coisas da vida. Ou vai ver também tem um pouco daquelas outras vidas mesmo, que a gente reencontra as pessoas e tem umas coisas muito loucas sobre a intensidade em que nos conectamos com elas. Sei lá, são tantas possibilidades (e eu adoro ficar pensando em todas elas).


E cá estamos, nosso 4º aniversário de namoro, sem contar com aqueles lá de quando a gente era criança e já suava frio pra pedir pra ser duplinha nos trabalhos da escola. Louco né? Aonde a gente foi parar, quem nos tornamos. Caramba! Que gostoso poder ficar recordando tudo isso, toda a nossa história, enquanto a gente também continua escrevendo, escrevendo e escrevendo essa vida louca cheia de aprendizados, experiências, dores e vitórias compartilhadas. Que gostoso poder fazer isso com um parceiro tão bacana.

Que gostoso poder compartilhar a vida com alguém que sempre me motiva a ser uma pessoa melhor, que me diz que eu mereço muito mais do que as zonas de conforto que eu crio, que eu posso tanto, mas tanto nessa vida. Alguém que me entende e me apoia mesmo nas crises, nos perrengues, que tá ali pra dizer ei, vai dar tudo certo sim! e se não der, tudo bem, a gente resolve tá? eu tô aqui, pode contar comigo. E caramba, o peso que isso tem!

A alegria que me dá em ver como essa amizade tem se fortalecido, no carinho e cuidado que temos um com o outro, na admiração, no amor que cresce e se fortalece cada vez mais. Esse feeling louco que transborda a gente e dá vontade de gritar pro mundo, de desejar que as pessoas sintam o mesmo. Da vontade que dá de te morder porque eu sou doida mesmo e as vezes bate uma crise de fofura agressiva quando eu não consigo expressar direito o quanto eu te amo criatura, meudeus. Respira! Risos nervosíssimos.

É louco continuar pensando nessa nossa trajetória, no quanto crescemos, no quanto nos entregamos e continuamos nos entregando. Pensar no futuro, no nosso futuro, no nosso futuro a dois, a três, a quatro. Eita! Sabe-se lá aonde a gente vai parar. Ainda assim vivendo um dia de cada vez. Priorizando sempre o carinho, o diálogo, o respeito. Admirando, demonstrando, vivendo nossas diferenças e também nossas semelhanças. Nos bastando enquanto seres individuais e transbordando enquanto companheiros nessa trajetória doida que é a vida.

É meu bem, a vida é louca mas é tão gostosa de se viver assim, nessa parceria maravilhosa. Que esses 4 anos se tornem 8, que se tornem 16, 32, etc etc etc. Seja lá quanto tempo durar (tomara que a vida toda!), que esse quentinho no coração nunca passe.

Happy Bday de namoro, meu bem. Loveu ♥
3.7.18

De vez em quando eu comento lá no twitter sobre perder o controle (das horas, da vida) jogando The Sims 4 e estranhamente, me dei conta disso essa semana, ainda não tinha comentado a respeito disso por aqui. Pois bem, it's time.

Se tem um jogo que me deixa perder a noção do tempo é o TS4. Já perdi as contas de quantas madrugadas virei baixando conteúdo personalizado pra poder construir e decorar casinhas bonitas ou criando sim's (os bonequinhos, personagens, as pessoinha do game) e montando outfits diferentes. Já me criei tantas vezes nesse jogo que até debater sobre os nomes dos nossos filhos no TS4 eu já debati com o Toni.

A parte triste é que o meu jogo base é original e pra poder ter acesso a todas as expansões é preciso investir mais alguns golpinhos. Então provavelmente terei que esperar a próxima black friday pra comprar a expansão Cães e Gatos e poder encher meu cafofo de bichinhos. Ou talvez eu não me aguente e faça isso antes. Ou mais talvez ainda (faz de conta que eu não disse isso), eu instale tudo por-outros-meios no notebook do Toni pra poder ter acesso a todas expansões e pacotes. Talvez.


Enquanto isso eu me divirto com tudo que o jogo base e os conteúdos personalizados me permitem. Com direito a sair capturando tudo que é cena, editando as imagens igual eu faço com as minhas fotinhas da vida real, decorando uns cafofo e criando a irmã no jogo porque as vezes eu não me aguento de saudade mesmo.


Ah, como tem uma galerinha que eu conheço que também curte The Sims, eu resolvi criar um tumblr pra poder compartilhar uns prints, umas dicas, uns tutoriais, uns links de conteúdo bacanas. Até pra não ficar trazendo muito isso pra cá e esse blog virar bagunça demais. Por enquanto não tem muita coisa nele, eu não sabia nem se ia usar essa plataforma, mas aos poucos vou compartilhando mais coisinhas e deixando ele bem recheado.


Agora me diz, esse home office não ficou um amorzinho? ♥
23.6.18

Um dos hábitos que criei foi o de listar coisas que me deixam feliz, alguns acontecimentos, coisas que pretendo fazer algum dia, mudanças de hábitos, etc etc etc. Listando coisas aqui e ali pra de vez em quando dar uma lida e, quem sabe, trazer aqui para o blog. Foi em um desses momentos me dei conta de que ainda não tinha falado sobre algumas coisinhas aqui...


✓ Parei de usar AC Hormonal — Só isso já merecia um post só dele mas como é super recente, faz só um mês, ainda é cedo pra falar a respeito. Acho até que demorei demais pra tomar essa decisão e colocar em prática. Antes tarde do que – esperar uma desgraça acontecer – mais tarde. Ainda assim, mesmo sem saber dos contras que podem aparecer no processo, a sensação é libertadora. Acho até que já tenho sentido os efeitos super positivos dessa decisão maaaas, melhor deixar pra falar mais disso em outro momento. 

Fiz progressiva — Sinceramente, nunca tive saco pra cuidar do meu cabelo. Sendo mais sincera ainda, continuo com zero paciência pra isso. Só que mesmo sem paciência, meu cabelo ainda é um fator que está ligado diretamente com a minha autoestima. Considerando que ele estava um caos nos últimos meses, tive muita queda e o frizz aumentou demais, resolvi procurar outra forma de resolver esse problema. Como não domino nem um pouco a arte das escovas e a chapinha só ia desgraçar ainda mais meu cabelo, resolvi fazer a tal da progressiva. 

Até agora fiz só uma vez. Não é a definitiva, ela meio que é pra ir saindo no banho mesmo. Notei que meu cabelo ficou muito mais leve (o fato de ter cortado ele também ajudou nisso) e brilhoso. Sem falar que acordar com o cabelo arrumado é maravilhoso pra essa alma que prefere dormir do que acordar mais cedo pra arrumar o cabelo. Já tô indo para o segundo mês pós primeira aplicação, lavando basicamente a cada dois dias, e sinto que continua bem OK. Se durar pelo menos uns três meses eu já vou ficar bem feliz, e meu bolso também.

✓ Troquei meus acessórios prateados pelos dourados — Comecei a mudança pela armação do óculos e, depois que escolhi um relógio dourado, senti necessidade de fazer a mesma coisa com os meus piercings. Como as minhas roupas são bem básicas, senti falta de acessórios que dessem um ar mais arrumado pra coisa toda. Até agora gostando bastante dessa reformulada, mesmo que suave, de estilo. 

✓ Voltei a escrever em um diário — Peguei um caderno velho que nunca tive coragem de usar e – que no fim acabei derramando achocolatado nele, disgusting – resolvi testar essa coisa de sair escrevendo o que vier na cabeça sem medo de me expor demais, de escrever errado, de não fazer sentido. Melhor coisa! Já tô ansiosa pra comprar outro caderninho, com mais folhas, pra continuar com essa ideia. Não é algo que faço todo dia, as vezes fico mais de uma semana sem escrever. No meu caso a ideia é usar ele quando realmente dá vontade. Como o Toni diz, pra colocar tudo pra fora. Tem sido uma experiência bem gostosa, algo que eu fazia muito na minha infância e que sentia falta. Quem sabe um dia eu compartilhe aqui algumas páginas do meu diário, tipo a que eu digo estar apaixonada pelo Toni. Quem sabe.

Bom, é isso. Achei que seria bacana deixar essas coisinhas registradas aqui. Aliás, é bem provável que eu volte a falar mais delas. Yes or no? :)