15 setembro 2016

Bateu saudade, bateu amorzinho

Apesar da Piny ter surgido na minha vida lá quando eu tinha os meus 14 anos, só nesses últimos 2 anos é que realmente nos fizemos presentes uma para outra. Digo isso porque ela era mais da minha irmã do que minha e porque logo depois chegou o Samy, meu gatinho siamês.

Vejam bem, eu sempre fui muito mais fã de gato do que de cachorro. Sim, no passado. Agora eu queria todos bichíneos pra mim. Acho que toda aquela independência do Samy encaixava perfeitamente com a minha necessidade de espaço.

SAMY, 2009.

Os anos passaram, eu fui mudando, saí de casa e tanto o Samy quanto a Piny permaneceram na casa aonde cresci. Sendo que, mesmo quando retornei para casa do meu pai, não tive o mesmo contato que eu tinha antes de sair de lá. É como se eu realmente tivesse acostumado com todo aquele espaço.

Quem me fez retomar esse contato com eles foi o namorado, apesar dele sempre ter se considerado indiferente a bichinhos de estimação. O que é engraçado porque eu ainda não vi ninguém ter um carinho tão grande por uma cachorrinha como o namorado tem pela Piny.

Agora voltando para o fato de que, bom, nós mudamos com o passar do tempo, das fases, vamos amadurecendo [...] aquela necessidade toda de espaço foi passando e eu comecei a sentir falta de contato. Falta de contato com as pessoas, com o mundo ao meu redor, com os meus bichinhos.

O que me dói nessa história é que não tive tanto tempo pra fortalecer a relação que eu tinha com o Samy (que já era maravilhosa) porque tempo depois ele desapareceu. Era uma gato extremamente carinhoso com qualquer pessoa (acho que quando a gente vai envelhecendo, pessoa ou bichinho, fica mais carente) e muito provavelmente alguém acabou pegando ele para si. Ou pelo menos é o que eu prefiro pensar. Que depois desses 10 anos comigo, agora ele tá curtindo uma vida de rei com muito conforto e comidinhas gostosas no cafofo de outra pessoa. I miss u boy.

Com o baque do desaparecimento do Samy e com o incentivo do namorado, eu voltei a olhar mais pra Piny. Ela com seus 12 aninhos, ficando cega, com tumorzinhos crescendo e tudo o que ela queria era atenção. Nessa horas a gente se sente super lixo por deixa-los de lado sendo que eles não tem na-da a ver com os rumos que a vida da gente dá. Basta um cafuné pela manhã que o dia deles já tá ganho.

Cerca de um ano antes de eu me mudar para o meu atual cafofo, eu comecei a trazer a Piny de volta para o meu dia-a-dia. No meio da bicharada toda do meu pai eu decidi adotá-la de vez, no maior estilo amo essa catiorínea e vou protegê-la. Comecei tirando ela do quartinho dos gatos (que deixavam ela super estressada) (catiorínea meio anti social mesmo), coloquei ela comigo no antigo quarto que eu ficava quando morava na casa do meu pai, comecei a dar banho (muuuitos banhos), me oficializei mãe-humana dela.

Nossa relação foi se fortalecendo e quando decidi me mudar já de cara decidi que ela vinha comigo. Tanto que a primeira coisa que eu perguntava para quem estivesse locando um cafofo era se rolava levar bichinho de estimação junto. Podia ser o melhor cafofo, se não rolasse bichinho eu nem considerava. Até que eu achei o meu atual cafofo aonde eu sabia que ela seria bem vinda (a Babi, outra catiorínea que vocês já viram por aqui, é do dono do cafofo).

Hoje tem tanto da Piny na minha rotina que só de pensar em como seria sem ela já me dá um aperto no coração. Não é a toa que uma das coisas que mais me deixa aflita é pensar no momento em que ela deixará esse mundo e se mudará para o paraíso dos catioríneos.

Acho que no fundo os animais são como a gente. Eles sentem quando estão seguros, quando o espaço é deles, quando não há risco de serem abandonados. Isso dá paz pra eles. Nas nossas relações humanas isso nos dá paz também. Por que com eles seria diferente?

PINY, 2016.

Relações que são fortalecidas, contatos que se tornam necessários para ambas as partes. O que seria de nós duas sem o abraço de perna que recebo quando chego da aula e o carinho que ela recebe enquanto o rabinho balança freneticamente? Acho que uma versão mais vazia de nós mesmas.

É isso sabe, a vida fica muito mais leve quando a gente passa a enxerga-los de verdade, quando eles fazem parte das nossas vidas e a gente passa a fazer parte da vida deles. E tudo o que eles querem é um pouco de carinho, uma caminha quentinha e a barriguinha cheia. Em troca eles te dão todo o amor do mundo. Você pode estar no seu pior dia e eles saberão como te deixar melhor. Nem quando eles picotarem papel higiênico pela casa inteira você conseguirá ter menos carinho por eles. Mesmo que você se distancie, ainda assim eles estarão ali te esperando, ansiosos, cheios da saudade. Quando um bichinho te ama, ele te ama pra sempre. É um caminho sem volta.

Bichinhos sendo bichinhos né?

37 comentários

  1. pior coisa do mundo perder bichinhos :(
    aqui em casa nós tinhamos uns 7 ao todo.
    5 gatos e 3 cachorros... este ano mesmo morreu um dos cachorros e 2 gatinhos. e 2 sumiram.
    eu particularmente prefiro nem adotar mais, porque é muito difícil depois que você se afeiçoa e depois ele parte...

    mas em uma coisa você tem razão, não tem nada mais gratificante de sentir o amor deles, o carinho! é sensacional quando você adquire "a ligação" <3

    beijos e muitos anos para a piny ainda <3

    ResponderExcluir
  2. Que lindeza de texto, Ba! <3 Fico feliz que as coisas tão se ajeitando pra você - e pra Piny também. :D Que o novo cafofo traga muitas alegrias pra vocês!

    ResponderExcluir
  3. Coisa mais linda da vida <3

    ResponderExcluir
  4. a gente se apega tanto né? mas não consigo mais me ver sem eles não. mesmo que a piny se vá um dia, ainda assim vou querer ter bichíneos ♥

    ResponderExcluir
  5. Ai, Bah... esses bichinhos da gente, né? Tenho muuuito medo da Lolla resolver ir embora também, porque não sei quantos anos ela tem! Mas essa coisa de amor incondicional eu sinto bastante. Pode ser o que for, acontecer o que acontecer, eles sempre estão ali, prontos e dispostos a amar! s2

    ResponderExcluir
  6. Que lindo! Eu acredito que um bicho de estimação estimula muitas coisas e melhora muito a energia de qualquer ambiente. ♥ minha gatinha veio pra minha vida para melhorar e muito.

    ResponderExcluir
  7. noooossa, isso é muito verdade! a energia que eles transbordam no lugar é sensacional ♥ sério, demais!

    ResponderExcluir
  8. Bichinhos são a melhor cura de bad vibes da vida. Hoje, com a Cookie, eu realmente não sei como passei tanto tempo sem um catioríneo de novo da minha vida. <33

    ResponderExcluir
  9. Depois de ler esse texto, só me deu vontade de uma coisa: abraçar bem muito meus gatos. Tenho dois, Klaus e Valentina. Confesso que sou mais apegada a Klaus por motivos de: ele é mais apegado a mim. Daí rola aquela reciprocidade, sabe? Valentina é mais na dela. Respeito e curto tbm. Acho cachorro uma gracinha/amorzinho, mas meu coração sempre bateu mais forte por gatos. ♥

    ResponderExcluir
  10. quando eu morava com meu pai tinha o samy e mais três gatos (dele). por mais que dois deles fossem extremamente carentões eu sabia que a minha relação era muuuuito mais intensa com o samy. até porque a gente se conhecia desde que ele parecia um ratinho haha ♥

    ResponderExcluir
  11. quero ter bichinhos, mas acho que só quando tiver um cafofo meu.

    aqui em casa é complicado, moro com minha avó e apesar dela morrer de amor por eles, ela morre de alergia também. :(

    ResponderExcluir
  12. Poxa Bah seu gatinho não apareceu? Mais que bom que pensa dessa forma (que ele foi para uma casa melhor)... Em relação a sua cachorrinha, que bom que teve essa reaproximação, tenho certeza que ela está se sentindo bem melhor com a sua companhia!! Bjos

    ResponderExcluir
  13. ele não apareceu mais não :~ e pensando que ele tá melhorzin dá uma paz no coração da gente né, já que a gente fica sem saber o que fazer, fica sem ter o que fazer a respeito :~ faz parte

    e simm, ela tá tão felizinha :)

    ResponderExcluir
  14. Sabe que eu sinto falta de ter um animalzinho também? Porque eu sou introvertida e quando estou triste eles são o tipo de companhia não invasora, que respeita o nosso espaço. Sua poodlezinha é a coisa mais linda! <3

    ResponderExcluir
  15. ai eu quero chorar :´) depois que me mudei com meu namorado, to numa luta diária aqui pra convencer ele a ter deixar eu pegar um gatineo. Tive gatinhos minha vida toda, e to sentindo MUITA falta. Como voce disse, a vida fica mais leve com eles <3

    ResponderExcluir
  16. fazem uma falta desgraçada né? amorecos dessa vida ♥

    ResponderExcluir
  17. Nossa, deu vontade de adotar um bichinho agora ♥
    Eu tinha uma cachorrinha desde os meus 5 anos. Ela morreu quando eu tinha 16, quase 17. Depois disso minha mãe decidiu que não queria mais ter bichinhos porque não sabia lidar com a perda deles e tal. Sinto muita falta de ter um.

    ResponderExcluir
  18. ai, a gente não gosta nem de imaginar né? dá um aperto no coração. mas ao mesmo tempo é tão, mas tão, bom ter um amigo-bichinho pra nos fazer companhia ♥

    ResponderExcluir
  19. Ai Ba, que post mais lindo e emocionante. Realmente os bichinhos tem essa capacidade de nos enxergar da maneira mais carinhosa possível, independente de TODAS as nossas loucuras e problemas... É uma lição diária de amor e companheirismo, sem dúvida! ♥

    http://naomemandeflores.com

    ResponderExcluir
  20. bem isso mesmo, muuuuitas lições diárias de amor e companheirismo ♥

    ResponderExcluir
  21. Ai ba, sinto muito pelo seu gatinho :( Bichinhos deviam acompanhar a gente sempre! Sua cachorrinha é um amor, cuida bem dela! Meu boy tem uma poodlezinha que ta com 17 anos já, ela não enxerga mais, não ouve, mas ta sempre lá sendo fofinha hahaha

    ResponderExcluir
  22. awnn ♥ que a minha viva bastantão assim também :)

    ResponderExcluir
  23. QUE TEXTO, chorei como boa chorona que sou haha <3 há 4 anos adotei uma dog e meu deus como a gnt consegue amar um serzinho tanto assim?? a vida ficou mais leve e feliz, e minha família se uniu mais, incrível o que eles fazem hehe. Sinto muito pela seu gatinho Ba :( ah, e que sua dog ainda te traga muita alegria por muitos e muitos aninhos :)

    bjsss
    http://blogmyideaoffun.blogspot.com.br/ ♥

    ResponderExcluir
  24. Que post mais amor. ♥ Falou tudo e mais um pouco. Eles merecem todo o nosso amor e carinho. Quando somos mais novos não percebemos isso com tanta clareza, né? Aproveite cada segundinho com os dois. Eles serão eternamente gratos! Não tenho dúvidas! Eu tenho uma cachorrinha em casa e nossa... É exatamente isso que você disse, o dia pode tá ruim, mas ela melhora tudo. ♥♥♥ Espero que eu consiga retribuir todo esse amor um dia.

    Beijos, Carol
    www.pequenajornalista.com

    ResponderExcluir
  25. são as melhores partes de nós mesmos né? ♥

    ResponderExcluir
  26. Quanta lindeza e fofura nesse post gente! E é tudo isso que você descreveu, tenho em casa uma cadelinha lindinha que é puro amor!

    Beijão.

    ResponderExcluir

© BMRTT
Maira Gall