menu
11.1.22

Na minha cabeça muitos textos para o blog foram escritos enquanto esperava Sara pegar no sono. Todos se perderam na memória assim que ela cochilou e peguei o celular na mão, ainda jogada na cama ao lado. Inclusive aconteceu o mesmo com o texto que mentalizei hoje antes de sair do quarto porque a janta ficou pronta. Era risoto de frango, a mais nova especialidade do Toni que acaba com qualquer ideia de equilíbrio que eu possa ter. Repito o prato até não conseguir mais.

Resumidamente, os textos falavam sobre a saudade que eu tenho desse espaço, da piada que é parecer que eu dou conta de alguma coisa aqui quando na maior parte do tempo muita coisa sai meia boca mesmo. Se eu consegui assistir a nova temporada de The Witcher nesse último final de semana muito provavelmente demorará mais algumas longas semanas antes de conseguir repetir a experiência seja lá com qual série/filme for. Semana passada até consegui ler umas páginas, no horário de almoço, de um dos livros que não terminei. No dia seguinte não deu tempo e no terceiro dia eu já não lembrava que tinha tentado voltar a ler. É raro mas acontece muito.

Fim de ano, mudança do endereço do escritório, retorno do trabalho presencial, Sara de férias da Creche. Sei nem como estamos vivos (não muito).

Sigo sem controle do tanto de registro que faço do dia a dia a ponto de já ter que fazer upgrade do Icloud. Sigo também esperando tempo & energia pra trazer pra cá o tanto de foto bonita que fiz de Sarinha (dá pra dizer que é pleonasmo né).

É isso, meio sumida mas meio por aqui. Dando aquele sinal de vida e aproveitando pra desejar um Feliz 2022 pra vocês :)
12.11.21

Ultimamente o caos aqui de casa tem me incomodado mais do que o de costume. Móveis demais, tralhas demais, bagunça demais. A dificuldade em encontrar tempo pra reorganizar as coisas, em encontrar energia pra pensar no que dá pra melhorar. O esgotamento físico e mental tem queimado o pouco de paciência que restava por sobreviver aos últimos dois anos. Tá foda.

Acho que consegui parar pra ler no horário de almoço umas duas vezes, provavelmente pensando em outras coisas enquanto fazia isso. Talvez só lembre da história por conhecer dos filmes que assisti infinitas vezes — Senhor dos Anéis — e não por de fato estar envolvida na leitura. Não me culpo, só fico desanimada mesmo. Bate a saudade de me deixar levar por qualquer história que me permita fugir um pouco da realidade. Aquela dose de alienação que estamos em situação de: precisada! 

Choveu muito, as roupas demoraram anos luz pra secar e Sara cansou da nossa cara dentro de casa diversas vezes. Fugimos para a Gamboa em uns três finais de semana porque a chuva lá parece incomodar bem menos do que aqui. Lá Sara tem bastante espaço para fazer bagunça e eu posso ser filha e pedir colo também. 

Dormi mal e pouco mais vezes do que me lembro e dei muito colo para acalmar chororô de nenê doente. Os dias de lutas e dias de glória que a creche proporciona, e dale imunidade. 

Outubro marcado por muito café em casa, lanchos no escritório e panquecas nas idas para a Gamboa. Abusando dos meus comfort food porque só com um pouco (ou muita) droga para manter algum nível de sanidade. 

Olho para as fotos que revelei querendo dar vida para minha escrivaninha e já sofro com a ideia de que esse canto voltará a ser estação de trabalho do excelentíssimo. Boatos de que ele se manterá no home office e de que estarei mais presente no escritório no ano que vem pedem reformulação na utilização dos móveis de casa. 

Por fim e não menos importante, enfim com a segunda dose da vacina no braço e com o diploma da graduação nas mãos. Aos trancos e barrancos Outubro passou. 


6.11.21

Se um dia julguei minha mãe por comprar roupa de banho combinando para nós três — mãe, mana e eu — eu já não lembro mais. Se um dia chamei de cafona quem compra roupa de filho combinando, eu já não lembro mais. Ou melhor, pra ser bem sincera, eu lembro e penso caramba, eu me tornei quem eu mais temia: a pessoa que que compra roupa pra combinar com o filho. É, acho que mãe tem alvará pra ser cafona e a todas que julguei, aqui estou mordendo a língua. 

06/2021

Dia desses ainda chegou um conjunto que comprei para mim e Sarinha e estou ansiosíssima para que o clima esquente mais um pouco e podermos cafonar novamente (aguardem novos capítulos). 

Dou risada toda vez que procuro um amarrador de cabelo da Sara que combine com a roupa que ela está usando. Quem diria ein Barbara? Dizem vozes na minha cabeça por eu ter rido de todas as fotos que tenho de infância em que pareço combinar até com a decoração do quarto.

A maternidade tem sido muito aquele meme dessa água não bebereis e que no fundo bebereis demais

Podia ser ruído mas na verdade o espelho estava sujo mesmo.

Bônus do dia pra quem ainda não viu ou, como eu, quer assistir pela milésima vez: compilado de vídeos de Sarinha de 04 a 07/2021.